Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Início do conteúdo da página
Ensino

Alunos do Campus Belém são premiados em Olimpíada Brasileira de Astronomia

  • Publicado: Sexta, 06 de Dezembro de 2019, 16h17
  • Última atualização em Sexta, 06 de Dezembro de 2019, 16h26
  • Acessos: 3327

Três medalhas de ouro e duas medalhas de bronze. Esse foi o resultado da participação do IFPA Campus Belém na 22ª Olimpíada Brasileira de Astronomia, divulgado nesta semana. Os alunos Pablo Rodrigues Nunes de Souza, Bruno Barbosa Lucas, Jaime Felipe Costa Monteiro Tavares, João Paulo de S. Rodrigues e Victor Matheus Bezerra da Silva foram premiados na competição. Ao todo, 20 alunos do Campus Belém participaram da competição, sob a orientação do pelo professor de Física Dr. João Paulo da Silva Alves.

Os medalhistas de ouro – Bruno, João Paulo e Pablo – participaram, no domingo (1/12), da 3ª e última etapa da Olimpíada. A partir da prova online, serão selecionados aqueles com melhores notas para integrar as equipes que representarão o Brasil em olimpíadas internacionais em 2020.

Nesta edição, a Olimpíada premiou estudantes paraenses de 11 municípios. Só em Belém, 12 escolas participaram do evento. O IFPA Campus Belém ficou na quarta colocação no número total de medalhas (cinco). “Desde 2014, quando o Campus fez sua estreia na competição, já acumulamos 20 medalhas”, recorda o professor João Paulo, que coordena o Centro de Astronomia do IFPA Campus Belém (Cenastro), ao lado do professor Charles da Rocha Silva.

O projeto de Extensão, apoiado pelo Programa de Institucional de Bolsa de Extensão (PIBEX), prepara os estudantes para participarem dessa e de outras olimpíadas. Para o professor, a presença dos alunos nesse tipo de evento estimula os jovens a estudarem e a terem contato com a pesquisa.

Como se já não bastassem esses ganhos, em 2019 a Universidade de São Paulo (USP) adotou o sistema de pontuação baseada em competições científicas. Ou seja, a partir de agora, uma das mais importantes universidades do país faz a seleção de seus alunos via FUVEST, SISU e também pela pontuação de medalhistas. “Serão ofertadas cerca de 120 vagas, em 60 cursos, considerando a nota dos candidatos em sete olimpíadas: Astronomia, Física, Matemática, Biologia, Química, Informática, Robótica”, explica o professor João Paulo.

Segundo dados da própria USP, a maior parte dos medalhistas ingressam em cursos de ciências exatas e engenharias. “Temos exemplos de egressos do IFPA, medalhistas, que estão fazendo até mestrado na USP; outros que recebem bolsa de estudo etc”, pontua o professor. “A expectativa é de que outras instituições possam adotar esse modelo de ingresso, via pontuação em olimpíadas. Assim, além de ampliarem seu conhecimento nas áreas específicas e adquirirem grau de maturidade, esses alunos terão a chance de ingressarem em universidades conceituadas, a partir da participação de olimpíadas”, completou.

Confira o quadro de medalhas do Campus Belém:

Bruno Barbosa Lucas (egresso do curso de Informática e atualmente cursando Engenharia Elétrica, na UFPA) - Medalha Ouro

João Paulo de S. Rodrigues (aluno do curso de Desenvolvimento de Sistemas) - Medalha Ouro

Pablo Rodrigues Nunes de Souza (aluno do curso de Desenvolvimento de Sistemas) - Medalha Ouro

Victor Matheus Bezerra da Silva (aluno do curso de Química) - Medalha Bronze

Jaime Felipe Costa Monteiro Tavares (aluno do curso de Edificações) - Medalha Bronze

 

Saiba mais sobre o Cenastro - Além da preparação para as olimpíadas, o Cenastro prevê outras atividades como manuseio de telescópio, seminários, observação de estrelas etc. Aqueles estudantes que se interessarem em participar do Projeto Centro de Astronomia do IFPA Campus Belém (Cenastro), podem entrar em contato pelo email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pessoalmente no Laboratório de Física (Bloco D).

Saiba mais sobre a OBA -  Evento aberto à participação de escolas públicas ou privadas, urbanas ou rurais, sem exigência de número mínimo ou máximo de alunos, os quais devem preferencialmente participar voluntariamente. Podem participar da OBA alunos do primeiro ano do ensino fundamental até alunos do último ano do ensino médio.

Ao final da OBA todos os alunos recebem um certificado de participação impresso com o seu nome e se ganhou alguma medalha o tipo dela também consta do certificado. Todos os professores envolvidos no processo e também os diretores escolares recebem os seus certificados.

 

 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página
-->